LIVRO: O DIÁRIO DE ANNE FRANK

17:04



Sinopse: O depoimento da pequena Anne Frank, morta pelos nazistas após passar anos escondida no sótão de uma casa em Amsterdã, ainda hoje emociona leitores no mundo inteiro. Seu diário narra os sentimentos, medos e pequenas alegrias de uma menina judia que, com sua família, lutou em vão para sobreviver ao Holocausto.
Lançado em 1947, O Diário de Anne Frank tornou-se um dos maiores sucessos editoriais de todos os tempos. Um livro tocante e importante que conta às novas gerações os horrores da perseguição aos judeus durante a Segunda Guerra Mundial.
Agora, seis décadas após ter sido escrito, este relato finalmente é publicado na íntegra, com um caderno de fotos e o resgate de trechos que permaneciam inéditos. Uma nova edição que aprofunda e aumenta nossa compreensão da vida e da personalidade dessa menina que se transformou em um dos grandes símbolos da luta contra a opressão e a injustiça. E consagra O Diário de Anne Frank como um dos livros de maior importância do século XX. Uma obra que deve ser lida por todos, para evitar que atrocidades parecidas voltem a acontecer neste mundo.


Devo confessar: Sou apaixonada por livros de histórias reais e principalmente sobre a segunda guerra mundial. O modo como os judeus eram tratados e a crueldade por trás de tudo isso é no mínimo intrigante e me desperta muito a curiosidade de saber como tudo aconteceu e o quão devastante e cruel foi tudo isso. É uma parte da história que, por mais dolorosa que seja, deve ser lembrada em homenagem aos milhões e milhões de judeus, negros, ciganos e tantos outros que morreram nestes anos de guerra.


O diário de Anne Frank não é um livro desconhecido, inclusive é muito recomendado por professores de história pois ele relata a segunda guerra na visão de Anne,uma menina de 13 anos, judia, que vivia em Amsterdam e passou 2 anos num esconderijo com sua família e amigos quando os judeus começaram a ser caçados. Nele, ela relata o seu dia-a-dia, como as coisas foram ficando cada vez piores e as dificuldades de convivência com a família Van Daan e Albert Dussel, que chegou no esconderijo alguns dias depois.
Os moradores chamavam o esconderijo de "Anexo Secreto" , ficava no prédio onde o pai de Anne, Otto Frank trabalhava. Anne contava tudo o que acontecia a seu diário, que batizou de Kitty, inclusive as dificuldades que tinham durante o dia, que não podiam fazer nenhum barulho pois havia pessoas no escritório, até quando a comida começou a ficar escassa e eles só tinham um tipo de comida para se alimentar. Também contou sobre Peter, o seu melhor amigo e como ela foi se encantando pelo menino cada vez mais. 


Anne retrata as confusões e questões de toda adolescente tem no livro também, as brigas constantes com a mãe por achar que ela gosta mais de sua irmã, Margot Frank. A sua relação com o pai é linda, muito amorosa e o pai costuma fazer todas as vontades dela. Porém, com a convivência, essa relação foi esfriando também.

" Os mortos recebem mais flores que os vivos, porque o remorso é mais forte que a gratidão"

Anne Frank 

Essa história não tem um final feliz, infelizmente, mas Anne com o seu diário ficou marcada pra sempre na história da segunda guerra. Hoje o prédio onde ficava o "Anexo Secreto" virou museu e é aberto a visitação. Seu pai, Otto Frank, foi quem divulgou seu diário pelo mundo todo. Ele faleceu em 1980, e hoje os direitos autorais do livro vão para a Fundação Anne Frank na Suiça.
E você, já leu esse livro? Gosta de livros históricos também? Me conta nos comentários!


Kisses

Você também poderá gostar de:

0 comentários

.