Livro: Diga aos lobos que estou em casa

10:55

Hey guys!
Tudo bem com vocês?

O post de hoje é sobre Diga aos lobos que estou em casa, livro que acabei de ler essa semana :) Confesso que não foi um dos melhores que li, mas mesmo assim acho que vale a pena escrever sobre ele.


Sinopse: 1987. Só existe uma pessoa no mundo inteiro que compreende June Elbus, de 14 anos. Essa pessoa é o seu tio, o renomado pintor Finn Weiss. Tímida na escola, vivendo uma relação distante com a irmã mais velha, June só se sente “ela mesma” na companhia de Finn; ele é seu padrinho, seu confidente e seu melhor amigo. Quando o tio morre precocemente de uma doença sobre a qual a mãe de June prefere não falar, o mundo da garota desaba. Porém, a morte de Finn traz uma surpresa para a vida de June – alguém que a ajudará a curar a sua dor e a reavaliar o que ela pensa saber sobre Finn, sobre sua família e sobre si mesma.

A história começa já com Finn, tio de June e Greta bem doente em decorrência da AIDS. Finn era a pessoa que June mais amava no mundo, e era seu melhor amigo e padrinho. Ela era uma menina sem muitas amizades e sempre no canto dela. Seus pais e irmã fizeram de tudo para não contar a June o estado de saúde de seu tio, mas chegou a um ponto que se tornou mesmo inevitável. Nesse meio tempo, Finn estava pintando um quadro para as sobrinhas, um retrato das duas. Ele consegue terminar e logo ele se vai. 


Para June, foi uma perda terrível e irreparável, ela sofreu muito e por muito tempo. Porém, sua dor começa a ser amenizada no dia em que ela recebe um pacote na sua casa com o jogo de chá russo em que ela costumava tomar chá com seu tio e uma carta, não de Finn, mas de Toby, o "amigo especial" de seu tio.
Outra coisa que deixa June intrigada é que no quadro que retrata June e Greta tem uns botões pretos bem grosseiros no casaco delas , que não parece ter sido obra de Finn. Devido a ter milhões de questionamentos, ela começa a se aproximar de Toby, no começo só para saber o porque de tantas coisas e com um certo receio, pois a família toda, principalmente Greta, diziam que ele era o assassino de seu tio. 

" Observar as pessoas é um bom hobby, mas você precisa ter cuidado. Se o pegam, elas o tratam como um criminoso de primeira grandeza. E talvez estejam certas em fazer isso. Talvez devesse ser crime tentar ver nas pessoas coisas que elas não querem que você veja."

Com o tempo, ela vai descobrindo que Toby era o companheiro de Finn, e não seu assassino. A AIDS em 1987 ainda era um mito, e em muitas passagens do livro percebe-se o quanto a doença era temida pelas pessoas, e considerada uma doença altamente contagiosa, as pessoas tinham medo de se aproximar. Menos June. 

"Eu sentia ter provas que nem todos os dias têm a mesma duração, nem todo tempo tem o mesmo peso. Prova de que há mundos e mundos e mundos por cima de mundos, se você quiser que eles estejam ali."


Greta, sua irmã, é o tempo todo citada por June no livro, geralmente como uma irmã insuportável e muito desagradável. Quando menores, as duas eram inseparáveis, melhores amigas, mas a proximidade de June com Finn causava muita raiva em Greta, por isso ela tinha umas atitudes muitas vezes cruéis com a irmã. Quando June começa a se aproximar de Toby e Greta descobre, as coisas pioram - ela ameaça contar a seus pais, principalmente a sua mãe, que não suporta ele e o julga assassino de Finn. 

" Digo, o que o sexo tinha para ser tão importante? Porque as pessoas não podiam viver juntas, passar a vida inteira juntas, apenas porque gostavam da companhia uma da outra? Apenas porque gostavam uma da outra mais do que qualquer pessoa no mundo todo?"

Enfim, o livro retrata as mudanças na vida dessa jovem - que muitas vezes sentiu-se perdida com tantos acontecimentos e para fugir da realidade ia para a floresta com suas botas medievais e brincava que vivia na idade média. Ouvia uivos e achava que eram lobos. Se via entre eles - como uma heroína. 
Fala sobre amor, sobre a perda de pessoas que amamos, sobre vermos os dois lados da história e guardarmos somente o que achamos que é certo - e não o que os outros nos falaram. Fala sobre ceder, sobre buscar entender o comportamento das pessoas, e acima de tudo sobre amar e perdoar. 
É incrível notar como a June evolui no decorrer do livro, e confesso que a narrativa um tanto infantil da primeira parte do livro me fez demorar horrores para ler, até pensei em abandoná-lo, mas como gosto de saber os finais das histórias continuei a ler. 


Porém, conforme June vai amadurecendo, a história vai se tornando cada vez mais interessante, o livro tem tantas citações incríveis ao decorrer da história, pena que não consigo colocar todas aqui - vai ter uma lá na fanpage junto com o post que achei a mais perfeita de todas haha 
É um livro que traz uma reflexão junto com ele e preciso dizer que gosto muito. Ele aborda temas bem interessantes e que, alguns infelizmente hoje ainda continuam assim - como o preconceito com portadores da AIDS (claro que diminuiu, mas ainda existe) - também sobre como lidar com as perdas, os mistérios do coração e os aprendizados que surgem com o tempo, quando você passa por situações que te obrigam a crescer.
O que mais dizer sobre esse livro? Diga aos lobos que estou em casa pode ser uma leitura chata e cansativa em algumas partes (parece que nunca sai do lugar haha) mas tem tanta coisa boa também! Com certeza vale a pena ler. 

E então, vocês já leram esse livro? O que acharam, tiveram as mesmas impressões? Querem ler?

Me conta tudo nos comentários!


Kisses




Você também poderá gostar de:

46 comentários

  1. Eu acho que leria sim, mesmo tenho uma narrativa um pouco infantil eu creio que tendo essa temática já me atrai. Se tem umas partes chatas, só lendo mesmo né, não sei se abandonaria a leitura mas pelo menos tentar ler eu gostaria.rsrs bjs
    www.pilateandosonhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim Ciana, acho que vai muito de gosto pessoal mesmo, pois já vi pessoas falando muito bem desse livro. No geral ele é bom, acho que ainda assim vale a pena :)

      Excluir
  2. Quero muito ler esse livro, mas saber que a história é meio parada me desanimou, porém ainda tenho curiosidade rs ❤ A história parece ser uma mistura de inocência e aventura com fantasia muito bacana. Esses conjuntos de "gêneros" me agrada demais. Enfim, tua resenha ta ótima, espero ler quando tiver oportunidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kelly, no geral ainda vale muito a pena ler pela temática mesmo sabe? Quem sabe com você é diferente :) Se você gosta desse gênero, se joga! haha
      Fico muito feliz que tenha gostado da resenha *-*
      Beijos

      Excluir
  3. O título por si só me chamou muita atenção, seu post tbm! Detesto livros que parecem que nao saem do lugar, mas acho que esse, qm sabe, vale a pena, qm sabe eu arriscooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim o título e a capa foi o que me chamou a atenção logo de cara também. No geral, ainda vale muito a pena!
      Fico feliz que tenha gostado do post!
      Beijos

      Excluir
  4. Oáaa! Nunca li e nem ouvi falar. Ultimamente tenho dado mais atenção para leituras em inglês, pois preciso praticar. Mas quem, sabe futuramente, né? Ler é sempre bom e esse parece ser bem legal! Beijoca! <3

    ResponderExcluir
  5. Achei o título bem enigmático e fiquei curiosa pra saber o que o justifica.
    Adoro livros com essa temática e nunca tinha ouvido falar sobre esse.

    Gostei bastante da resenha e das fotos.

    Beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Talita! Sim, o que me chamou atenção de cara foi o título também, se você gosta da temática você vai gostar desse!
      Fico feliz que tenha gostado.
      Beijos

      Excluir
  6. Eu acredito que leria, é uma temática bem interessante a abordada pelo livro e é do tipo que eu gosto de ler. As citações são ótimas e a capa do livro é linda né?

    Beijos,
    http://pinguimtagarela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Diovana, se você curte essa temática com certeza vai gostar! Também amo a capa desse livro *-* e as citações são incríveis mesmo!
      Beijos

      Excluir
  7. Não conhecia esse livro e adorei. A história é bem envolvente e um pouco de frases que você colocou na resenha já deu para notar que o livro é cheio de citações que nos fazem refletir.
    Preciso dizer que as fotos estão lindas ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal Ana, fico muito feliz que tenha gostado! As citações são demais mesmo, tem muita coisa legal pra refletir nele *-*
      Que bacana ter gostado das fotos, estou amando fotografar <3
      Beijos

      Excluir
  8. Oi! Já ouvi falar desse livro mais nunca me chamou muita atenção, porém, depois da sua resenha ele já entrou para minha lista haha
    Adorei o blog! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado! Vale a pena a leitura.
      E que bom que gostou do blog, volte sempre!
      Beijos

      Excluir
  9. Deu vontade de ler por tratar da AIDS!
    Lembro que uma vez minha mãe foi se encontrar com um cliente (ela é contadora) e tava com uns machucados nas mãos, todos ficamos preocupados por que o cara tinha aids. Sim, isso foi nos anos 90, acho que no final. Mas acho que em momento algum ela.pe sou em não atende-lo e lembro dela dizer que não tinha problema, que ela não ia ficar agarrando ele hahahaha mas mesmo assim ficamos preocupados, ainda mais eu que era criança, não sabia como funcionava!
    Beijos o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nana, sim é bem legal tratar de um assunto que até hoje é um pouco tabu. E que legal a atitude da sua mãe, realmente nos anos 90 ainda rolava muito preconceito e ela já pensava a frente do seu tempo, muito bacana!
      Beijos

      Excluir
  10. Hey!
    Eu já tive a oportunidade de ver a capa desse livro, mas nunca imaginei que fosse se tratar de um tema tão delicado quanto a AIDS, que mesmo nos dias de hoje, ainda há muito preconceito. A minha primeira impressão é que fosse algo mais voltado para a ficção, e não algo tão real, por assim dizer. Mesmo que você tenha achado uma leitura um pouquinho cansativa no início, acho que me arriscaria a ler sim, principalmente pelo enredo.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu também não imaginava quando vi a capa, é realmente bem "vida real"! Apesar de algumas partes cansativas, vale bem a pena ler!
      Beijos

      Excluir
  11. Eu imaginava uma coisa completamebte diferente desse livro. Nunca havia parado para ler a sinopse, mas é bem diferente do que eu pensava. De qualquer forma, eu fiquei super curiosa para lê-lo; acho que vou me identificar um pouco coma protagonista :)
    Ah, sua resenha está incrível *-*
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o título faz imaginarmos outra coisa né? Lê sim, é bem bacana, também acho que vai se identificar com ela haha
      Fico muito feliz que tenha gostado da resenha!
      Beijos

      Excluir
  12. Me pareceu um livro bem triste, e me lembrou um livro que eu li chamado O Trem Das Janelas Acesas. Foi o primeiro livro com um tema triste e intenso que eu li, pela resenha eu senti que seria na mesma vibe. Não cheguei a chorar lendo mas fiquei com aquele nó na garganta quando terminou.
    www.rumorandhorror.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço esse, mas pelo nome já imagino que seja muito triste mesmo, como esse, é aqueles livros que a gente fica pensando depois, né?
      Beijos

      Excluir
  13. Oie, tudo bem? Não conhecia o livro mas achei bem interessante a premissa dele. Em algumas ocasiões também já encontrei livros meio parados mas sempre encontramos algo bom no final. Gostei muito do quotes que você separou, o primeiro é o meu preferido. A resenha ficou ótima. Beijos, Érika ^-^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Erika, tudo e contigo?
      Sim, realmente foi o que aconteceu com esse! Uma boa surpresa no final :)
      Que bacana você ter gostado da resenha, fico feliz!
      Beijos

      Excluir
  14. Não conhecia esse livro, mas fiquei com vontade de ler, mesmo porque aborda um tema mais delicado então bateu curiosidade de ler mesmo você falando que ele é meio cansativo em algumas partes, acho que me arriscaria em ler sim!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Carolina, pela temática dele vale muito a pena! Lê sim depois me conta o que achou!
      Beijos

      Excluir
  15. A premissa do livro parece ser ótima, não tinha ouvido falar dele ainda. A inocência da garota que não sabe o que está acontecendo me lembrou um pouco O Menino do Pijama Listrado, que tinha uma situação bem parecida, e lembro que essa visão inocente me prendeu bastante, porque enquanto os adultos falavam diversas coisa que nós entendíamos o que queriam dizer, o protagonista do livro continuava nas escuras sobre tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Simone! A história em si é mesmo bem interessante e surpreendente. Realmente por um tempo foi mesmo parecido com O menino do pijama listrado, eles tentavam esconder os problemas dela e ela ia narrando a história na visão dela.
      Quando puder, leia! Traz uma reflexão e é bem interessante.
      Beijos

      Excluir
  16. Confesso que não é bem o meu estilo, mas às vezes é importante ler livros desse tipo para ampliar a nossa visão em relação a alguns assuntos. Acho que o mais importante que esse livro passa é sobre o preconceito, né? E sobre como não devemos ser facilmente influenciados pela opinião alheia.
    Ah, e o que me chamou a atenção a princípio foi a capa. Achei bem bonita. *-*
    Não vai ser prioridade, mas vou deixar ele anotado pra ler um dia desses. Vai que eu me surpreendo como você, não é? :p
    Enfim, a sua resenha ficou realmente boa, e eu adorei as fotos! <3

    Beijos! :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariana! É mesmo, livros como esse nos fazem refletir sobre a nossa visão das coisas, principalmente o preconceito. Eu também achei a capa linda, inclusive foi um pouco por isso que o comprei. Sim, ele pra mim não foi um livro imperdível, mas que no final valeu a pena ler. Quem sabe você se surpreenda!
      Fico muito feliz que tenha gostado da resenha e das fotos, muito obrigada *-*
      Beijos

      Excluir
  17. Não sei se o livro aborda sobre isso, mas, nem todo mundo evolui para a doença AIDS. E nem todo mundo que tem HIV morre de AIDS.
    "Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença." (informação do www.aids.gov.br)

    Acho a temática interessante, e mostra o quanto crianças não tem preconceitos <3, a gente cria pré-conceitos conforme vamos crescendo.
    E no caso da leitura demorar a engatar, eu seria que nem você, insistiria mais um pouco para poder saber o final hehehe.
    Só não entendi porque no título tem "lobos" e o desenho na capa é um urso. :P

    Beijos, Isis Tomie =]
    www.isistomie.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isis!
      O livro não chega a fazer uma abordagem tão profunda sobre a doença, infelizmente. Na verdade ele fala da forma como a doença era vista nos anos 80, quando muitas pessoas ainda pensavam que ela era altamente contagiosa.
      Tem um casal que conheço que é exatamente assim, um deles evoluiu para AIDS enquanto o outro só tem o HIV. E muita gente, ainda hoje, não sabe disso, né?
      É verdade, as crianças não tem preconceito algum, os adultos é que vão ajudando a criá-los ao longo do tempo.
      Sim, no final valeu a pena haha
      Então, não tinha percebido isso do urso! hahaha meio sem nexo mesmo.
      Beijos

      Excluir
  18. Que resenha ótima. Você começou dizendo que não era dos melhores livros e terminou dizendo que a narrativa é um pouco lenta e cansativa, às vezes. Mas o modo como você narrou os detalhes e trouxe a história foi tão boa que me fez querer ler o livro também! A questão da AIDS nessa época era realmente ainda mais difícil que nos dias atuais. E, é interessante o modo como o livro aborda isso, através de uma personagem secundária (e não como a portadora do vírus), mas mesmo assim de um modo que me pareceu sincero e tocante. Vou incluir esse livro na lista de leituras! ahahah
    Ah, essa história me fez lembrar do filme que vi há pouco tempo, intitulado 'Holding The Man', é que é lindo demais da conta e que é baseado em um livro de mesmo nome. Também fala sobre a AIDS na década de 70, através da história de um casal. Lindo de viver!
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rê! Ah, muito obrigada, fico feliz que tenha gostado da resenha!
      Espero que goste do livro, ele realmente traz uma reflexão muito boa!
      Vou buscar ver esse filme/livro, achei interesante!
      Beijos

      Excluir
  19. Já coloquei esse livro na minha wishlist! Tem tudo para ser maravilhoso! Essa sua resenha me deixou completamente doida para ler esse livro!
    Beijos,
    www.hitsdomomento.com

    ResponderExcluir
  20. Confesso que o livro já me ganhou direto pela capa (porque sim, sou dessas que lê pela capa). Mas depois que li a resenha, decidi que quero ler ele pra ontem. Gosto muitos desses livros que vai tendo um amadurecimento na história e que trazem aquelas frases lindas pra gente levar pra vida.
    Entre cartas e amores ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos duas! haha comprei ele totalmente pela capa, que é linda demais *-* Espero que goste, o livro traz uma reflexão linda!
      Beijos

      Excluir
  21. Oie Tudo bem?
    Primeiramente esse livro não ne chamaria a atenção , mas conforme fui lendo a sua resenha mudei um pouco de idéia ( mesmo você dizendo em alguns momentos na resenha que meu preconceito de que é uma história chata acaba sendo confirmado) Eu acredito que seja um livro que pode ser interessante afinal de contas
    Beijos

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi tudo e contigo? Exatamente, no final o livro revela-se super interessante e vale super a pena apesar das partes chatinhas.
      Beijos

      Excluir
  22. Oi, Aline!
    Não conhecia esse livro, mas provavelmente, eu compraria por causa do título inusitado...rs.
    Foi bom saber que a leitura flui da metade para o final... é um incentivo para nunca abandonarmos os livro no início (sempre acho valido terminar).
    Achei a temática atual e pertinente para lidar com situações familiares complicadas como essa.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tatiana!
      Realmente, o título chama muito a atenção! Eu também sou super contra abandonar os livros pela metade, no meu caso a curiosidade sempre fala mais alto haha
      A temática é super interessante e acaba trazendo uma lição de vida no final.
      Beijos

      Excluir
  23. Só de lembrar meus olhos já encheram de lágrimas. Li esse livro há uns dois meses, e até hoje quando lembro dele me emociono - concordo com você que às vezes a narrativa é parada, mas quando ela avança é pra acabar com nossos sentimento. Eu marquei tantas citações que fiquei perdidinha na hora de fazer minha resenha!
    Paraíso da Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gislaine! Realmente, é um livro que emociona no final das contas, vai se tornando lindo no decorrer da história. Eu marquei muitas citações também, depois tive que ficar escolhendo, tem tantas tão lindas!
      Beijos

      Excluir

.